Consulta Jurídica: Cobrar Ou Não?

Discussão em 'Direito do Trabalho' iniciado por fernandolimajunior, 17 de Abril de 2012.

  1. fernandolimajunior

    fernandolimajunior Em análise

    Mensagens:
    20
    Sexo:
    Masculino
    Estado:
    Minas Gerais
    Caros Colegas,

    Possuo um Escritório de Advocacia e não cobro pelas consultas jurídicas

    Contudo, venho percebendo que muito clientes se aproveitam do momento com o advogado para tirar todo e qualquer tipo de dúvida, sobre os mais diversos assuntos, recebendo orientação e explicação jurídica sobre vários fatos, o que, por vezes, é o suficiente para solucionar o caso, dirimir as dúvidas e chegar a um acordo extrajudicial com a outra parte da demanda, sem a necessidade da contratação do advogado.

    A Tabela da OAB/MG instituí o valor de R$ 150,00 por consulta verbal em horário normal, o que considero excessivamente alto, vez que a grande maioria de meus clientes são pessoas de classe baixa, com renda próxima a um salário mínimo, que jamais pagaria tal valor para uma simples consulta.

    A questão é a seguinte: devo cobrar pela consulta jurídica? Qual o valor seria mais justo e acessível? Muitos colegas não cobram para não correr o risco de perder o cliente, mas, por outro lado, não acho justo oferecer os meus conhecimentos e resolver lides e dúvidas de forma gratuita.

    Qual a opinião e a experiência de vocês?
  2. Cjardim

    Cjardim Membro Pleno

    Mensagens:
    205
    Estado:
    Rio Grande do Sul
    Fernando

    Você mesmo definiu o problema e a visão de quem não quer pagar consulta jurídica: "o que considero excessivamente alto (...) para uma simples consulta."

    Deixa eu te dar outra visão, a de quem advoga há 13 anos (mas ainda é um aprendiz). Não é uma "simples consulta", e sim uma consulta técnica com análise e parecer sobre o assunto consultado. Você é questionado sobre os aspectos de determinado fato ou negócio, pondera com seu conhecimento técnico, e dá ao cliente soluções ou aponta caminhos a serem tomados. Para isso, você estudou, NO MÍNIMO, uns 5 ou 6 anos só de graduação. Acrescente à conta especialização, estudo de casos e jurisprudência, experiência, e verá que o caminho foi longo para saber o que falar ao cliente que o procura com uma simples consulta. Não considero alto o valor de R$ 150,00 por uma consulta, levando em conta tudo que estudei para poder prestar esta consulta. Analise, como parâmetro, os médicos, que cobram no mínimo R$ 250,00 a consulta. Por que você não acha errado pagar a consulta do médico mas acha demais que lhe paguem? Os conhecimentos são os mesmos, o esforço e estudo é o mesmo, cada um em sua área.

    Vou me estender um pouquinho e resumir a "piada" que diz que um empresário, com um supercomputador avariado, já havia passado por inúmeros técnicos, e nenhum detectava o problema. Até que chamou O CARA, que olhou o computador, acrescentou um parafuso em determinado lugar, e a máquina voltou a funcionar. O empresário maravilhado perguntou quanto era o serviço, e O CARA lhe cobrou R$ 1.000,00. O empresário achou um absurdo tudo isso por um parafuso, e pediu que o técnico lhe enviasse a fatura que ele analisaria. No dia seguinte recebeu a fatura, que dizia: PARAFUSO: R$ 0,10; CONHECIMENTO SOBRE QUAL O PARAFUSO CORRETO: R$ 999,90.

    Enfim, é meu ponto de vista.

    Por fim, lhe dou uma sugestão: coloque um quadro com o valor da consulta de forma bem clara, inclusive com o fundamento legal para sua cobrança. E use de sua discricionariedade para saber de qual cliente pode cobrar, e de qual vale a pena ceder a orientação sem cobrança, visando manter ou captar um cliente em potencial. Tenho por padrão esse procedimento, e também abato dos honorários contratados caso a consulta vire o patrocínio de ação ou parecer.

    Boa sorte, e desculpe a extensão do texto!

    []s
    Letícia curtiu isso.
  3. camilamlinhares

    camilamlinhares Em análise

    Mensagens:
    21
    Sexo:
    Feminino
    Estado:
    Pará
    Concordo com o colega,
    a consulta fornecida pelo advogado é uma consulta qualificada, acerca de assuntos pelo qual o advogado e apenas ele (conforme EAOAB) pode fornecer.
    Desta forma, acredito que o mais prudente seja basear-se pela tabela de honorários de sua seccional. É óbvio que em alguns casos, dada a condição do cliente o advogado possa fazer alguma concessão. Caso contrário é totalmente permitida e legal, constituindo um direito do advogado, a cobrança pela consultoria.
  4. italonormande

    italonormande Em análise

    Mensagens:
    7
    Sexo:
    Masculino
    Estado:
    Alagoas
    Nobre Fernando, tudo que o amigo csjardim citou no comentário dele é a mais pura verdade... temos que valorizar os nossos estudos. Investimos muito. Cada Pós, cada livro, horas a fio de estudos merecem ser valorizados. Pense na proposta do experiente amigo Csjardim.

    Abraço
  5. fernandolimajunior

    fernandolimajunior Em análise

    Mensagens:
    20
    Sexo:
    Masculino
    Estado:
    Minas Gerais
    Caros Colegas,

    De início, obrigado pelas considerações de ótimo nível aqui descritas.

    Concordo plenamente com todos os argumentos apresentados, sou amplamente favorável a cobrança pela consulta jurídica, primeiro, por ser uma forma de valoriza a profissão e o profissional que a exerce e segundo, como uma maneira justa de retribuir os conhecimentos prestados por um profissional qualificado que, como bem disse o colega, investiu tempo e dinheiro para aprimorar a sua formação e prestar um serviço de alta qualidade.

    Ao contrário do que meu primeiro post possa aparentar, não estou desvalorizando o advogado ao afirmar que acho "excessivo o valor de R$ 150,00 para uma simples consulta". Infelizmente essa é a opinião pelo menos 80% de meu público alvo que não concordaria em pagar tal valor. Meu escritório possuí 10 meses de funcionamento, ou seja, estou no começo da carreira e tenho que enfrentar a concorrência de advogados que estão a 20, 30, 40 anos no mercado. A questão é que a nossa classe não é unida e a grande maioria dos escritórios não cobram pela consulta, prática lamentável, mas que corresponde a realidade. Dessa forma, cobrar o valor de R$ 150,00 constante na Tabela da Ordem certamente me levaria a fechar as portas, vez que nenhum dos meus potenciais clientes concordariam em adimplir com tal quantia.

    Contudo, gostei muito da dica do nobre colega e vou adotá-la no meu escritório. Só me resta estabelecer um valor justo pelo preço da consulta, que não desvalorize o meu trabalha e que não onere de forma excessiva a minha cliente que é, repito, quase exclusivamente formada por pessoas de menor potencial aquisitivo.

    Agradeço a todos pelas opiniões!

    Att.,

    Fernando Lima
  6. Letícia

    Letícia Membro Pleno

    Mensagens:
    290
    Sexo:
    Feminino
    Estado:
    Santa Catarina
    A união é que faz a força...
    Os médicos são unidos, por isso eles cobram o valor da consulta, seja o médico iniciante na medicina ou o médico experiente. Eu sei que se eu for no médico hoje para ele dar uma "olhadinha" eu tenho que ter no bolso pelo menos uns R$ 200,00. E eu ligo antes para saber o valor.
    Se a pessoa é pobre a ponto de não poder pagar a consulta, ela deve procurar a defensoria.
    A população precisa prestigiar mais a nossa profissão. E a gente deve saber valorizar o nosso ofício.
    Se formos pensar bem sobre o caso, o advogado barato nem sempre angaria clientes (muito menos bons clientes). Se eu não fosse advogada e precisasse de um, iria direto no Dr. Edésio que é o "advogadão" aqui da minha cidade, e sei que ele cobra muito bem pelos serviços. Não penso ser muito pagar R$ 200,00 de consulta para o Dr. Edézio. E não devo achar que o mesmo valor é demais para mim, que ainda não tenho a mesma experiência, mas estudo e trabalho com afinco.
    Nos primeiros meses do meu escritório, resolvi extrajudicialmente a situação de um rapaz, que diga-se de passagem me deu bastante trabalho (e muitos telefonemas), e ele foi-se embora sem me pagar, eis que a princípio eu iria propor ação judicial, e mais tarde não foi mais necessário. Trabalhei muito para ele, e não recebi nada em troca. Ao contrário, eu paguei para trabalhar. Fiquei muito decepcionada.
    Todavia, a culpa foi minha, pois eu devia ter dito, desde o início, que o valor para a consulta seria de XXX reais. E caso entrasse com a ação, abateria do valor.
    ...Vivendo e aprendendo.

    Abraço aos colegas!
  7. celohhh

    celohhh Em análise

    Mensagens:
    17
    Sexo:
    Masculino
    Estado:
    Minas Gerais
    Pessoal, quando cobrar??

    Antes da consulta ou após??

    Uns amigos deram uma consulta e a cliente ficou de 'ir em casa' buscar o dinheiro e até ontem ela ainda não retornou da casa dela... rsrsrsrs

    Deve-se explicar, antecipadamente, o valor da consulta e cobrar, para depois irmos para a consulta de fato??

    Abraço a todos!



    (Fui bastante breve. pois antes escrevi bastante, mas o post foi apagado pq a conexão caiu)
  8. Paula Helena

    Paula Helena Em análise

    Mensagens:
    11
    Sexo:
    Feminino
    Estado:
    Minas Gerais

    quando li seu post me identifiquei. tenho a mesma dúvida.
    passei pela seguinte situação, dei a consulta a lista de documentos e a pessoa simplesmente sumiu.
    não pagou absolutamente nada.
    já tenho informativos sobre a cobrança de consulta, mas e aí, cobro antes ou depois?
  9. cssn

    cssn Membro Pleno

    Mensagens:
    19
    Sexo:
    Feminino
    Estado:
    Brasília-DF
    Prezados Colegas,

    Comigo foi pior ainda, fiz a defesa trabalhista, audiência e até hoje o Reclamado não me pagou. Não fiz contrato com ele e aí pergunto aos colegas se uma ação de arbitramento de honorários seria adequado.
  10. rafaelnparanagua

    rafaelnparanagua Advogado Correspondente em Brasília

    Mensagens:
    100
    Sexo:
    Masculino
    Estado:
    Brasília-DF
Tópicos Similares: Consulta Jurídica
Forum Título Dia
Direito Civil, Empresarial e do Consumidor Consultar Processo Extinto 24 de Maio de 2015
Direito Civil, Empresarial e do Consumidor Plano De Saúde Que Marca Consulta E Desmarca Um Dia Antes. 13 de Agosto de 2013
Direito Civil, Empresarial e do Consumidor Cobrança De Consulta Médica Mesmo Sendo Credenciado Por Plano De Saúde 04 de Janeiro de 2011
Direito do Trabalho Consulta Academica 01 de Dezembro de 2009
Regras Supostas Consultas De Particulares 29 de Novembro de 2009

Compartilhe esta Página