Consulta Jurídica: Cobrar Ou Não?

Discussão em 'Direito do Trabalho' iniciado por fernandolimajunior, 17 de Abril de 2012.

  1. fernandolimajunior

    fernandolimajunior Em análise

    Mensagens:
    20
    Sexo:
    Masculino
    Estado:
    Minas Gerais
    Caros Colegas,

    Possuo um Escritório de Advocacia e não cobro pelas consultas jurídicas

    Contudo, venho percebendo que muito clientes se aproveitam do momento com o advogado para tirar todo e qualquer tipo de dúvida, sobre os mais diversos assuntos, recebendo orientação e explicação jurídica sobre vários fatos, o que, por vezes, é o suficiente para solucionar o caso, dirimir as dúvidas e chegar a um acordo extrajudicial com a outra parte da demanda, sem a necessidade da contratação do advogado.

    A Tabela da OAB/MG instituí o valor de R$ 150,00 por consulta verbal em horário normal, o que considero excessivamente alto, vez que a grande maioria de meus clientes são pessoas de classe baixa, com renda próxima a um salário mínimo, que jamais pagaria tal valor para uma simples consulta.

    A questão é a seguinte: devo cobrar pela consulta jurídica? Qual o valor seria mais justo e acessível? Muitos colegas não cobram para não correr o risco de perder o cliente, mas, por outro lado, não acho justo oferecer os meus conhecimentos e resolver lides e dúvidas de forma gratuita.

    Qual a opinião e a experiência de vocês?
  2. Cjardim

    Cjardim Membro Pleno

    Mensagens:
    205
    Estado:
    Rio Grande do Sul
    Fernando

    Você mesmo definiu o problema e a visão de quem não quer pagar consulta jurídica: "o que considero excessivamente alto (...) para uma simples consulta."

    Deixa eu te dar outra visão, a de quem advoga há 13 anos (mas ainda é um aprendiz). Não é uma "simples consulta", e sim uma consulta técnica com análise e parecer sobre o assunto consultado. Você é questionado sobre os aspectos de determinado fato ou negócio, pondera com seu conhecimento técnico, e dá ao cliente soluções ou aponta caminhos a serem tomados. Para isso, você estudou, NO MÍNIMO, uns 5 ou 6 anos só de graduação. Acrescente à conta especialização, estudo de casos e jurisprudência, experiência, e verá que o caminho foi longo para saber o que falar ao cliente que o procura com uma simples consulta. Não considero alto o valor de R$ 150,00 por uma consulta, levando em conta tudo que estudei para poder prestar esta consulta. Analise, como parâmetro, os médicos, que cobram no mínimo R$ 250,00 a consulta. Por que você não acha errado pagar a consulta do médico mas acha demais que lhe paguem? Os conhecimentos são os mesmos, o esforço e estudo é o mesmo, cada um em sua área.

    Vou me estender um pouquinho e resumir a "piada" que diz que um empresário, com um supercomputador avariado, já havia passado por inúmeros técnicos, e nenhum detectava o problema. Até que chamou O CARA, que olhou o computador, acrescentou um parafuso em determinado lugar, e a máquina voltou a funcionar. O empresário maravilhado perguntou quanto era o serviço, e O CARA lhe cobrou R$ 1.000,00. O empresário achou um absurdo tudo isso por um parafuso, e pediu que o técnico lhe enviasse a fatura que ele analisaria. No dia seguinte recebeu a fatura, que dizia: PARAFUSO: R$ 0,10; CONHECIMENTO SOBRE QUAL O PARAFUSO CORRETO: R$ 999,90.

    Enfim, é meu ponto de vista.

    Por fim, lhe dou uma sugestão: coloque um quadro com o valor da consulta de forma bem clara, inclusive com o fundamento legal para sua cobrança. E use de sua discricionariedade para saber de qual cliente pode cobrar, e de qual vale a pena ceder a orientação sem cobrança, visando manter ou captar um cliente em potencial. Tenho por padrão esse procedimento, e também abato dos honorários contratados caso a consulta vire o patrocínio de ação ou parecer.

    Boa sorte, e desculpe a extensão do texto!

    []s
    Letícia curtiu isso.
  3. camilamlinhares

    camilamlinhares Em análise

    Mensagens:
    21
    Sexo:
    Feminino
    Estado:
    Pará
    Concordo com o colega,
    a consulta fornecida pelo advogado é uma consulta qualificada, acerca de assuntos pelo qual o advogado e apenas ele (conforme EAOAB) pode fornecer.
    Desta forma, acredito que o mais prudente seja basear-se pela tabela de honorários de sua seccional. É óbvio que em alguns casos, dada a condição do cliente o advogado possa fazer alguma concessão. Caso contrário é totalmente permitida e legal, constituindo um direito do advogado, a cobrança pela consultoria.
  4. italonormande

    italonormande Em análise

    Mensagens:
    7
    Sexo:
    Masculino
    Estado:
    Alagoas
    Nobre Fernando, tudo que o amigo csjardim citou no comentário dele é a mais pura verdade... temos que valorizar os nossos estudos. Investimos muito. Cada Pós, cada livro, horas a fio de estudos merecem ser valorizados. Pense na proposta do experiente amigo Csjardim.

    Abraço
  5. fernandolimajunior

    fernandolimajunior Em análise

    Mensagens:
    20
    Sexo:
    Masculino
    Estado:
    Minas Gerais
    Caros Colegas,

    De início, obrigado pelas considerações de ótimo nível aqui descritas.

    Concordo plenamente com todos os argumentos apresentados, sou amplamente favorável a cobrança pela consulta jurídica, primeiro, por ser uma forma de valoriza a profissão e o profissional que a exerce e segundo, como uma maneira justa de retribuir os conhecimentos prestados por um profissional qualificado que, como bem disse o colega, investiu tempo e dinheiro para aprimorar a sua formação e prestar um serviço de alta qualidade.

    Ao contrário do que meu primeiro post possa aparentar, não estou desvalorizando o advogado ao afirmar que acho "excessivo o valor de R$ 150,00 para uma simples consulta". Infelizmente essa é a opinião pelo menos 80% de meu público alvo que não concordaria em pagar tal valor. Meu escritório possuí 10 meses de funcionamento, ou seja, estou no começo da carreira e tenho que enfrentar a concorrência de advogados que estão a 20, 30, 40 anos no mercado. A questão é que a nossa classe não é unida e a grande maioria dos escritórios não cobram pela consulta, prática lamentável, mas que corresponde a realidade. Dessa forma, cobrar o valor de R$ 150,00 constante na Tabela da Ordem certamente me levaria a fechar as portas, vez que nenhum dos meus potenciais clientes concordariam em adimplir com tal quantia.

    Contudo, gostei muito da dica do nobre colega e vou adotá-la no meu escritório. Só me resta estabelecer um valor justo pelo preço da consulta, que não desvalorize o meu trabalha e que não onere de forma excessiva a minha cliente que é, repito, quase exclusivamente formada por pessoas de menor potencial aquisitivo.

    Agradeço a todos pelas opiniões!

    Att.,

    Fernando Lima
  6. Letícia

    Letícia Membro Pleno

    Mensagens:
    290
    Sexo:
    Feminino
    Estado:
    Santa Catarina
    A união é que faz a força...
    Os médicos são unidos, por isso eles cobram o valor da consulta, seja o médico iniciante na medicina ou o médico experiente. Eu sei que se eu for no médico hoje para ele dar uma "olhadinha" eu tenho que ter no bolso pelo menos uns R$ 200,00. E eu ligo antes para saber o valor.
    Se a pessoa é pobre a ponto de não poder pagar a consulta, ela deve procurar a defensoria.
    A população precisa prestigiar mais a nossa profissão. E a gente deve saber valorizar o nosso ofício.
    Se formos pensar bem sobre o caso, o advogado barato nem sempre angaria clientes (muito menos bons clientes). Se eu não fosse advogada e precisasse de um, iria direto no Dr. Edésio que é o "advogadão" aqui da minha cidade, e sei que ele cobra muito bem pelos serviços. Não penso ser muito pagar R$ 200,00 de consulta para o Dr. Edézio. E não devo achar que o mesmo valor é demais para mim, que ainda não tenho a mesma experiência, mas estudo e trabalho com afinco.
    Nos primeiros meses do meu escritório, resolvi extrajudicialmente a situação de um rapaz, que diga-se de passagem me deu bastante trabalho (e muitos telefonemas), e ele foi-se embora sem me pagar, eis que a princípio eu iria propor ação judicial, e mais tarde não foi mais necessário. Trabalhei muito para ele, e não recebi nada em troca. Ao contrário, eu paguei para trabalhar. Fiquei muito decepcionada.
    Todavia, a culpa foi minha, pois eu devia ter dito, desde o início, que o valor para a consulta seria de XXX reais. E caso entrasse com a ação, abateria do valor.
    ...Vivendo e aprendendo.

    Abraço aos colegas!
  7. celohhh

    celohhh Em análise

    Mensagens:
    17
    Sexo:
    Masculino
    Estado:
    Minas Gerais
    Pessoal, quando cobrar??

    Antes da consulta ou após??

    Uns amigos deram uma consulta e a cliente ficou de 'ir em casa' buscar o dinheiro e até ontem ela ainda não retornou da casa dela... rsrsrsrs

    Deve-se explicar, antecipadamente, o valor da consulta e cobrar, para depois irmos para a consulta de fato??

    Abraço a todos!



    (Fui bastante breve. pois antes escrevi bastante, mas o post foi apagado pq a conexão caiu)
  8. Paula Helena

    Paula Helena Em análise

    Mensagens:
    11
    Sexo:
    Feminino
    Estado:
    Minas Gerais

    quando li seu post me identifiquei. tenho a mesma dúvida.
    passei pela seguinte situação, dei a consulta a lista de documentos e a pessoa simplesmente sumiu.
    não pagou absolutamente nada.
    já tenho informativos sobre a cobrança de consulta, mas e aí, cobro antes ou depois?
  9. cssn

    cssn Membro Pleno

    Mensagens:
    20
    Sexo:
    Feminino
    Estado:
    Brasília-DF
    Prezados Colegas,

    Comigo foi pior ainda, fiz a defesa trabalhista, audiência e até hoje o Reclamado não me pagou. Não fiz contrato com ele e aí pergunto aos colegas se uma ação de arbitramento de honorários seria adequado.
  10. rafaelnparanagua

    rafaelnparanagua Advogado Correspondente em Brasília

    Mensagens:
    100
    Sexo:
    Masculino
    Estado:
    Brasília-DF
Tópicos Similares: Consulta Jurídica
Forum Título Dia
Direito Civil, Empresarial e do Consumidor Direito do Consumidor - ressarcimento da consulta médica 06 de Agosto de 2017
Direito Civil, Empresarial e do Consumidor Consultar Processo Extinto 24 de Maio de 2015
Direito Civil, Empresarial e do Consumidor Plano De Saúde Que Marca Consulta E Desmarca Um Dia Antes. 13 de Agosto de 2013
Direito Civil, Empresarial e do Consumidor Cobrança De Consulta Médica Mesmo Sendo Credenciado Por Plano De Saúde 04 de Janeiro de 2011
Direito do Trabalho Consulta Academica 01 de Dezembro de 2009

Compartilhe esta Página